Smash TV

Review: Bored_Cyrus | Data: 18/01/2008 | Última Revisão: 30/07/2011

Ficha
Plataforma Adaptações/Outras versões Data de Lançamento
Arcade Amstrad CPC / Atari ST / Commodore 64 / Commodore Amiga / GameGear / NES / Playstation (Arcade Party Pak) / Sega Genesis (Sega Mega Drive) / Sega Master System / Super Nintendo / Xbox 360 (Xbox Live Arcade) / ZX Spectrum / PC, Nintendo GameCube, Xbox, Playstation 2 (Midway Arcade Treasures) 1990
Desenvolvimento Publicação Classificação
Williams Williams Visão Superior / Tela Fixa
Multiplayer: Até 2 jogadores em modo cooperativo.
Review

A idéia por trás do arcade Smash TV, como você pode ver na ficha técnica acima, é esta: ser adaptado para a maior quantidade de plataformas diferentes com o intuito de ganhar a maior quantidade de dinheiro possível. Nah, na verdade a idéia é a seguinte: imagine um game show de televisão qualquer. Agora imagine que em vez de perguntas, respostas, gincanas e outras competições manjadas do tipo a atração principal do programa fosse… isso, carnificina! Em Smash TV você toma controle dos participantes do programa de TV mais violento de todos os tempos, onde os competidores precisam desbravar cenários repletos de armadilhas e tentar sobreviver a ataques e mais ataques de milhares de soldados armados com porretes e outras armas letais. Degradação humana total. Mas até que não está muito longe do que passa na TV aberta hoje em dia…

Smash TV é um Run’n’Gun do estilo Arena, como o clássico Robotron 2084*. O que isso significa em português é que você enxerga os personagens de cima e o cenário é delimitado pelos cantos da tela, sem rolagem, como em uma arena. Cada estágio possui diversas salas conectadas entre si, levando ao final, é claro, a uma sala com o chefe da fase. Você precisa exterminar todas as levas de inimigos para seguir para a próxima sala, mas não é necessário detonar todas as salas do estágio para completá-lo: você pode escolher rotas diferentes e passar por salas distintas, mas sempre acabando no chefe.

Existe uma estranha satisfação em ser jogado contra levas infinitas de inimigos vindos de todas as direções, principalmente quando sua arma é capaz de exterminar vários ao mesmo tempo. Mesmo assim, em Smash TV é mais fácil você virar cadáver (ou pedaços de um) nas mãos de seus adversários do que o contrário. O game é imperdoável na quantidade de inimigos, que vêm dos quatro cantos da sala sem parar e podem te encurralar com uma facilidade extrema se você não prestar atenção em seus arredores. Smash TV quase sempre ganha pela quantidade. Você tem vários tipos de armas especiais, mas elas são bastante limitadas.

A jogabilidade de Smash TV soa bem estranha no começo. Você tem 8 botões: quatro são os direcionais comuns e os outros quatro são os botões de tiro. A razão para tantos botões de tiro: cada um atira em uma direção. Por exemplo, um botão atira para a direita, outro para cima e por aí vai, enquanto o outro conjunto de botões serve para mover seu personagem. Complicou? Na verdade é bem fácil de se acostumar. Se você decidir jogar em um emulador, a melhor idéia é usar um gamepad se possível, porque no teclado pode ser confuso.

A violência do jogo é bem “desenho animado” e exagerada, mas ainda assim bastante gráfica: pessoas explodem em cachoeiras de sangue, isso quando não viram uma porção de pedacinhos e saem voando para todo lado. Portanto evite jogar na frente de crianças ou pessoas com estômagos mais sensíveis, a não ser que você queira provocar pesadelos nas primeiras e mal-estar nessas últimas.

Enfim, o problema de Smash TV é que o jogo fica monótono rápido demais. No começo é até divertido ver milhares de soldadinhos explodindo, mas os estágios não saem muito disso e você é vencido pelo cansaço. Além disso, esteja avisado das tendências um tanto quanto “covardes” de Smash TV: várias vezes você se verá diante de mais inimigos do que pode suportar, mesmo atirando continuamente, e mesmo as armas especiais não fazem milagre. É aquela coisa: tudo bem não querer que os participantes de seu game show levem o prêmio para casa, mas tente fazer o público acreditar que seu jogo é vencível…

Avaliação
Estrela CheiaEstrela CheiaEstrela CheiaEstrela VaziaEstrela Vazia
Screenshots

Curiosidades
*Sub-título

A jogabilidade de oito botões e até mesmo o game em si são similares ao clássico Robotron: 2084, de 1982. Não é coincidência: Eugene Jarvis foi co-designer de ambos os games.

Este artigo foi postado em Reviews, Reviews: Arcade e marcado como , , . Adicione o permalink a seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *