Star Parodier

Review: Bored_Cyrus | Data: 10/10/2010 | Última Revisão: 02/12/2013

Ficha
Plataforma Adaptações/Outras versões Data de Lançamento
PC Engine CD Wii (Virtual Console) 24/04/1992
Desenvolvimento Publicação Classificação
Hudson Soft, Kaneko, Inter State Hudson Soft Visão Superior / Rolagem Vertical
Multiplayer: Não.
Review

Star Soldier, propriedade da Hudson Soft relativamente obscura aqui no ocidente, é um bom exemplo de série que, apesar da falta de mudanças substanciais entre um título e o outro, marcou época para os fãs do PC Engine. Eram games rápidos, simples e com trilhas sonoras eletrizantes. Numa época em que o gênero dos shoot-em-ups ainda tinha algum fôlego para alcançar um público maior, era isso que bastava. Em 1992, aparentemente inspirada pela Konami e seu clássico Parodius, a Hudson Soft resolveu reciclar seus personagens e clichês mais manjados de Star Soldier num game cujo título não poderia ser mais claro sobre suas próprias intenções: Star Parodier.

As intenções são boas, mas uma coisa problemática fica evidente logo na tela de seleção de personagens: para parodiar a si mesmo de forma satisfatória, você precisa ter algo com algum carisma a ser parodiado. Não é exatamente um problema para a Konami, mas para a Hudson Soft – a julgar por Star Parodier – as escolhas parecem se reduzir a Bomberman. O game oferece três opções de “naves”: além de uma versão voadora do próprio Bomberman, você pode optar por Paro-Caesar (a nave de Star Soldier) e uma versão antropormofizada do PC-Engine. Sim, o console. Sua arma de escolha: lançar CDs em seus pobres inimigos.

O que se segue são oito fases típicas de um game Star Soldier, com a única diferenciação de gráficos bastante coloridos e música alegre, ambos aspectos beneficiados pela capacidade superior de armazenamento da mídia do PC Engine CD. O game tem raros momentos de inspiração e mesmo o sistema de armas não apresenta novidades em relação aos outros Star Soldier: você dispõe de três tipos de armamento, alguns adendos como um escudo protetor e mísseis teleguiados, e bombas especiais que não são tão especiais assim. Em um dos melhores momentos do game, você enfrenta uma versão gigantesca do próprio Bomberman, com direito ao clássico labirinto de corredores. De resto, peixes gigantes, bonecos de neve e carangueijos estilizados da maneira mais infantil e inofensiva possível.

Star Parodier não é um mau game, mantendo o nível geral de qualidade de produção da série Star Soldier. Talvez seja este o problema: ele é ortodoxo e certinho demais para merecer a expectativa gerada pelo “Parodier” de seu título, raramente saindo do esquemão tradicional de um shooter “Cute” qualquer. Até poderia ter sido lançado no mercado ocidental* para a diversão da criançada, tivesse o PC Engine feito mais sucesso comercial por essas bandas. Enfim, é possível que todas as horas de mulheres semi-nuas e falcões americanos maníacos em Parodius tenham me transformado em uma criatura cínica demais para a doçura de Star Parodier

Avaliação
Estrela CheiaEstrela CheiaEstrela CheiaEstrela VaziaEstrela Vazia
Screenshots

Curiosidades
Cancelado

*Segundo fontes muy confiáveis na Internet, uma versão americana foi planejada mas cancelada antes de seu lançamento.

Este artigo foi postado em Reviews, Reviews: PC Engine / TurboGrafx-16 e marcado como , , , , , . Adicione o permalink a seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *